Entre os anos de 2011-2012, este espaço destinou-se à divulgação dos trabalhos e experimentos realizados pelos alunos do 5º ano e pelo prof. André Nogueira, da Escola Municipal João de Camargo, participantes do Programa Ciência Hoje de Apoio à Educação.





"PCHAE na Sala de Aula" foi premiado como o melhor blog da II Mostra Municipal do Programa Ciência Hoje de Apoio à Educação das Crianças. Uma parceria de sucesso entre a Secretaria Municipal de Educação com o Instituto Ciência Hoje que juntos, buscam promover a educação científica junto ao público infantojuvenil.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Bromeliário do Jardim Botânico

Há mais de cem anos, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro guarda uma coleção de bromélias entre as plantas de seu acervo. Antigos botânicos da instituição já coletavam essas espécies para pesquisa: Brade, Santos Lima, Kuhlmann, Pereira e Duarte, entre outros.
Em 1975, o Dr. Raulino Reitz, renomado especialista em Bromeliaceae e então diretor do Jardim Botânico, inaugurou o Broméliario Ecológico do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. No mesmo evento, foi fundada  a Sociedade Brasileira de Bromélias, com Dr.Reitz eleito presidente e o Dr. Lyman Smith (Smithsonian Institution – EUA) presidente honorário.
Em 1976, o Dr. Felisberto Camargo, estudioso do gênero Ananás(abacaxi), doou ao Broméliario uma coleção das espécies desse gênero, ampliando o acervo da instituição. Os arquivos dessa época registravam a existência de 148 espécies na coleção. Mais recentemente, a coleção foi incrementada por diversas expedições cientificas, entre as quais se destacam as lideradas por Dimitre Sucre e Gustavo Martinelli, realizadas por meio do Projeto Bromélia
Atualmente, o Bromeliário compreende cerca de 10 mil exemplares, distribuídos em duas grandes estufas e em canteiros. A estufa Roberto Burle-Marx  aberta a visitação contém exemplares das coleções do Jardim Botânico e do Sítio Roberto Burle-Marx, além de doações feitas por particulares. Nesta estufa, podem ser apreciadas espécies de diversas formações (oriundas da Amazônia, Floresta Atlântica, de restingas e caatingas), assim como exemplares das Américas do Sul e Central. A estufa Dimitri Sucre, abriga a coleção científica que está composta por exemplares obtidos no desenvolvimento de projetos científicos e por coletas atuais,  destinadas à pesquisa científica e à conservação.

Veja uma pequena amostra do que você vai encontrar neste belo Bromeliário:












domingo, 20 de novembro de 2011

Orquidário do Jardim Botânico

Durante a administração do Dr. Barbosa Rodriques, que teve início em 1890, foi construída a primeira estufa do JBRJ. Já em formato octogonal mas em madeira, abrigava nesta época as 'Plantas de Salão', estando a recém formada coleção de orquídeas em estufa anexa. Na década de 30, a grande estufa foi refeita em estrutura de ferro e vidro, cópia das estufas inglesas. O Orquidário passou então a compreender a estufa e a área anexa. Na década de 50 foi construído o Ripado, que hoje acolhe os 3000 exemplares de cerca de 600 espécies diferentes que compõem a coleção. A maioria das plantas da coleção de Orchidaceae é composta de espécies brasileiras mas temos também espécies exóticas e híbridos.














terça-feira, 15 de novembro de 2011

Um pouco da história do Jardim Botânico

Aclimatar as especiarias vindas das Índias Orientais: foi com este objetivo que, em 13 de junho de 1808, foi criado o Jardim de Aclimação por D. João, Príncipe Regente na época, e mais tarde d. João VI.
Com a ameaça da invasão das tropas de Napoleão Bonaparte em Portugal, a nobreza portuguesa mudou-se para o Brasil e instalou a sede do governo no Rio de Janeiro. Entre outros benefícios, a cidade ganhou uma Fábrica de Pólvora, construída no antigo Engenho de Cana de Açúcar de Rodrigo de Freitas.
Encantado com a exuberância da natureza do lugar, aí D. João instalou o Jardim, que em 11 de outubro do mesmo ano, passou a Real Horto. Por um erro histórico acreditava-se que as primeiras plantas tinham sido trazidas do Jardim Gabrielle, de onde vieram muitas plantas, principalmente durante as guerras napoleônicas. Porém o Jardim Gabrielle era nas Guianas e as primeiras plantas que chegaram aqui vieram, na verdade, das ilhas Maurício, do Jardim La Pamplemousse, por Luiz de Abreu Vieira e Silva, que as ofereceu a D. João. Entre elas, estava a Palma Mater.
Aberto à visitação pública após 1822, o Jardim teve muitos visitantes ilustres: Einstein, a Rainha Elisabeth II do Reino Unido e muitos outros.
Vários naturalistas e administradores contribuíram para a trajetória do Jardim Botânico, como: Frei Leandro, Serpa Brandão, Cândido Baptista de Oliveira, Custódio Serrão, Karl Glasl, João Barbosa Rodrigues, Pacheco Leão, Campos Porto, João Geraldo Kuhlmann e o atual presidente Liszt Vieira.

Vale uma visita.
Veja algumas fotos do local:








 Para conhecer um pouco mais sobre o Jardim Botânico, acesse:

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

OBSERVANDO O CÉU: LUA CHEIA

Ao olhar para o céu à noite, você já deve ter notado nestes últimos dias a imagem de uma bela lua iluminda.
Pois é, estamos na fase da lua chamada LUA CHEIA.


 Ela é uma quatro fases da lua:

LUA NOVA

LUA QUARTO-CRESCENTE 

LUA CHEIA 

LUA QUARTO-MINGUANTE


Você sabe por que isso acontece?!


A face iluminada da Lua é aquela que está voltada para o Sol. A fase da lua representa o quanto dessa face iluminada pelo Sol está voltada também para a Terra. Durante metade do ciclo essa porção está aumentando (lua crescente) e durante a outra metade ela está diminuindo (lua minguante). Tradicionalmente apenas as quatro fases mais características do ciclo - Lua Nova, Quarto-Crescente, Lua Cheia e Quarto-Minguante - recebem nomes, mas a porção que vemos iluminada da Lua, que é a sua fase, varia de dia para dia. Por essa razão os astrônomos definem a fase da Lua em termos de número de dias decorridos desde a Lua Nova (de 0 a 29,5) e em termos de fração iluminada da face visível (0% a 100%). 

Recapitulando, fase da lua representa o quanto da face iluminada pelo Sol está na direção da Terra.


Nesta semana, estamos na LUA CHEIA


Na fase cheia 100% da face visível está iluminada. A Lua está no céu durante toda a noite, nasce quando o Sol se põe e se põe no nascer do Sol. Lua e Sol, vistos da Terra, estão em direções opostas, separados de aproximadamente 180°, ou 12h. Nos dias subsequentes a porção da face iluminada passa a ficar cada vez menor à medida que a Lua fica cada vez mais a oeste do Sol; o disco lunar vai dia a dia perdendo um pedaço maior da sua borda voltada para o oeste. Aproximadamente 7 dias depois, a fração iluminada já se reduziu a 50%, e temos o Quarto-Minguante. 


Gostou? 
Veja mais algumas fotos da LUA CHEIA tiradas por mim da janela do meu apartamento:










sábado, 5 de novembro de 2011

PCHAE é notícia no Portal Casa de Curioso

Notícia publicada no portal "Casa de Curioso" sobre o vencedores da II Mostra Municipal do Programa Ciência Hoje das Crianças.
Veja:


Alunos apresentam resultados do projeto na II Mostra Municipal


Como comprovar a existência do ar? Como evitar a dengue? Essas e outras perguntas foram respondidas por mais de 1.200 crianças da rede municipal de educação do Rio de Janeiro. Coordenados por 120 professores, eles apresentaram seus trabalhos na II Mostra Municipal do Projeto Ciência Hoje de Apoio à Educação, realizada dia 27 de outubro, no Rio Centro. 

Os trabalhos, realizados a partir da experimentação científica em sala de aula, chamaram a atenção pela criatividade e pela preocupação em divulgar a Ciência para a comunidade. O evento foi promovido pela Secretaria Municipal do Rio de Janeiro e Instituto Ciência Hoje.

Durante o evento, foram premiados os professores que se destacaram no portal Casa de Curioso (maior número de pontos conquistados no portal, maior número de curtições de experimentos, melhor blogue e experimento mais criativo). Também foram premiados os Curiosos Offlines, que apresentaram os melhores trabalhos na mostra.

Confira a lista de vencedores:
Curiosos Offlines:
- Profª Liliane Balonecker Daluz - E.M. Francisco Manuel (2ª CRE)
- Profª Rosângela Gomes Da Silva de Moraes E.M. Senador Francisco Gallotti (5ª CRE)
- Profª Claudia Gonçalves Muniz E.M. Almirante Saldanha da Gama (9ª CRE)

Curioso Criativo
- Profª Lenicelis Galhardo - E.M. Santa Isabel (9ª CRE)

Curioso Popular
- Profª Aline Câmara - CIEP Padre Paulo Corrêa de Sá (8ª CRE)

Curioso Blogueiro
- Profº André Nogueira - E.M. João de Camargo (1ª CRE) http://pchae.blogspot.com/

Curioso da Casa
- Profª Aline Câmara - CIEP Padre Paulo Corrêa de Sá (8ª CRE)


sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Homenagem especial na João de Camargo

Hoje, sexta-feira (04/11) recebemos um carinho muito especial da direção da nossa escola. Fomos homenageados pelas conquistas de "Curioso Gama" e também pelo prêmio de melhor blog da II Mostra Municipal do Programa Ciência Hoje das Crianças.

Estiveram presentes a equipe da direção da escola assim como várias outras turmas. Ficamos muito felizes e orgulhosos.
Na ocasião, também foram entregues as medalhas recebidas da SME/ICH pela conquista do "PCHAE na Sala de Aula".


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

PCHAE recebe homenagem do blog "A Revolução Acontece"

Hoje (03 de novembro) nosso blog recebeu uma homenagem de carinho do blog da Prefeitura/SME chamado "A Revolução Acontece".


Quinta-feira, 03/11/2011

PCHAE na Sala de Aula (1ª CRE) - Prêmio e Reconhecimento

Tags: 1ªcre, eventos, blogs.
 

 
 

Os alunos das Escolas Públicas do Município do Rio de Janeiro têm cada vez mais oportunidade de mostrar seus talentos, evidenciando a importância da prática aliada à teoria, e da aprendizagem significatica. Neste ano, os jovens estudantes da rede participaram de vários momentos importantes, entre eles o FECEM, Maratona de Histórias, II Turno Cultural, Mostra de Dança e no final de outubro, participaram da II Mostra Municipal do Programa Ciência Hoje de Apoio à Educação das Crianças.
 
O Professor André Nogueira , da Escola Municipal João de Camargo relatou que o evento emocionou a escola , afinal, durante todo o ano, os alunos realizaram experiências e desenvolveram excelente trabalho na área de Ciências. O programa utilizado pela turma é o PCHAE, Programa Ciência Hoje de Apoio à Educação na Rede de Educação ,uma parceria da Secretaria Municipal de Educação com o Instituto Ciência Hoje, que promovem a educação científica junto ao público infantojuvenil.
 
André contou que com PCHAE, as aulas se tornaram ainda mais prazerosas. Também relatou que houve melhora significativa no desempenho escolar dos alunos. Com tanto progresso, nasceu a idéia de compartilhar com outros professores e crianças o sucesso das experiências científicas, criando assim o blog “PCHAE na Sala de Aula” um portfólio digital que divulga as produções da turma.
 

 
Ao longo do ano foram realizados vários experimentos científicos, todos registrados e devidamente postados no endereço virtual. Oito destes experimentos foram enviados para o Portal Casa de Curioso, mas ninguém imaginava que a escola seria a primeira a ultrapassar a marca de 4.800 estrelas no “Prêmio Casa de Curioso”. Foi uma surpresa e tanto!
 
Os alunos também festejam os muitos acessos ao blog, que já alcançou mais de 10.000 visitas, inclusive de pessoas de outros países.
 
No entanto, a alegria maior aconteceu na II Mostra Municipal do Programa Ciência,, pois “PCHAE na Sala de Aula” foi eleito o MELHOR BLOG. e considerado o mais completo em termos científicos e pedagógicos entre todas as escolas participantes do projeto.
 
O Rioeduca aplaude a iniciativa da Escola João de Camargo e do Professor André, que tem despertado em seus alunos o prazer pela ciência e pela tecnologia. 
 
Para acessar a página do blog, clique na imagem abaixo.
 
 
Sua escola tem um projeto de sucesso?
Envie para ruteferreira@rioeduca.net
ou acesse o Sobre Nós para conhecer o representante de sua CRE.

                     
                                                

Estamos muito felizes com o reconhecimento do nosso tabalho.


Se preferir, pode acessar diretamente através do link:


terça-feira, 1 de novembro de 2011

FLAGRANTE DE ANIMAIS: GARÇA

Na última quinta-feira (27/10), estivemos no Riocentro na II Mostra Municipal do Programa Ciência Hoje de Apoio à Educação das Crianças.

Já na entrada, fomos surpreendidos pela presença de uma garça nos jardins do local.

A espécie encontrada é a "GARÇA MOURA"
Ela é a maior espécie de garças do Brasil. Costuma viver solitária e não se incomoda com a presença de outras aves.

Veja algumas fotos:




Para saber mais sobre essa espécie, acesse: